Licitações para explorar pré-sal devem ocorrer no 1° semestre, diz Lobão

| Agência Brasil

Ao assumir nesta segunda-feira (3), pela segunda vez, o cargo de ministro de Minas e Energia, Edison Lobão afirmou que no primeiro semestre deste ano ocorrerá a 11ª rodada de licitações de concessão de áreas para a exploração de petróleo. Segundo ele, nessa rodada de discussões o objetivo é fazer a primeira etapa de licitações para a exploração da camada pre-sal no sistema de partilha. Além disso, de acordo ele, até o fim de 2011 serão feitos os leilões das áreas de petróleo e gás natural do pré-sal.

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, advertiu que para isso é necessário que o Congresso Nacional defina o cálculo a ser adotado para os royalties do petróleo (compensações financeiras devida pelas empresas que exploram petróleo no país). “Acho que o Congresso nacional vai nos ajudar, e a licitação das áreas deve ocorrer o fim do ano”, ressaltou Lobão.

As afirmações de Lobão e Gabrielli ocorreram durante a cerimônia de transmissão de cargo do novo ministro, nesta manhã, no Ministério de Minas e Energia em Brasília. Ele substitui Márcio Zimermann.

No final do ano passado, a Câmara aprovou o texto básico que cria o marco regulatório do pré-sal. O novo sistema de exploração de petróleo vai substituir o atual mecanismo de concessão. O modelo deve definir como a produção de cada campo de petróleo será partilhada entre o consórcio vencedor da licitação e a União.

No último dia 22, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que define as novas regras para a exploração de petróleo na camada do pré-sal. Ele vetou o artigo que determinava a divisão dos royalties do petróleo entre todos os estados e municípios brasileiros. Outro artigo vetado destinava metade do dinheiro do Fundo Social do pré-sal a programas de educação.

Lula encaminhou ao Congresso um projeto de lei que garante uma parcela maior de recursos aos estados produtores de petróleo. Assim, cumpre o acordo fechado com os governadores dos principais estados produtores – Rio de Janeiro e Espírito Santo – no ano passado.

O modelo aprovado pelos parlamentares e vetado pelo presidente previa a partilha dos royalties conforme os percentuais do Fundo de Participação dos Estados e dos Municípios. Caberia à União compensar os estados produtores pelas perdas com a divisão.

A lei sancionada por Lula muda o modelo de exploração de petróleo do pré-sal, de concessão para partilha. De acordo com a lei, empresas serão contratadas para explorar os blocos e terão que dividir os lucros com a União. Serão escolhidas as empresas que oferecerem a maior parcela da produção ao governo.

Últimas notícias

19/09 - 19:23 Premiê escocês renuncia após derrota do movimento pela independência 19/09 - 19:22 Governo do Rio expulsa PM envolvido em agiotagem 19/09 - 19:22 Dilma nega uso irregular dos Correios para distribuir material de campanha 19/09 - 19:21 Dólar fecha no maior valor desde fevereiro 19/09 - 12:50 Escócia rejeita independência; Cameron reforça promessa de mais autonomia 19/09 - 12:49 Inflação oficial tem prévia de 0,39% em setembro 19/09 - 12:48 Dilma tem 37% das intenções de voto, Marina, 30% e Aécio, 17%, diz Datafolha 19/09 - 07:07 Petrobras quer produzir 4 milhões de barris por dia até 2030, diz Graça Foster 19/09 - 07:05 ONU cria missão de emergência para combater ebola no Oeste africano 19/09 - 07:04 Desigualdade está em queda apesar da estabilidade de índice, diz Marcelo Neri 18/09 - 20:36 Anatel nega pedido de empresas de telefonia para mudar edital de 4G 18/09 - 20:35 Paulistanos gastam quase 3 horas por dia no trânsito, diz pesquisa 18/09 - 20:34 Mais 74 projetos se inscrevem para leilão de energia da EPE 18/09 - 14:32 Inflação medida pela Fipe desacelera na capital paulista 18/09 - 14:31 PM expulsa nove militares condenados pela morte da juíza Patrícia Acioli 18/09 - 14:30 Pesquisa da CNI sobre desempenho industrial mostra empresários pessimistas 18/09 - 14:28 Número de trabalhadores com carteira assinada aumenta 3,6% em 2013, diz IBGE 18/09 - 08:07 Votação sobre a independência da Escócia leva 4 milhões às urnas

Edição Digital

Edição 19/09/14

© 2010 Copyright Diários Associados Todos os direitos reservados

O uso deste site está sujeito aos termos de uso. Ao continuar usando esta página, você concorda em cumprir com estes termos.