OGX eleva participação em dois blocos da Bacia de Campos

| Da redação
A OGX, empresa brasileira de óleo e gás natural do grupo de Eike Batista, informou nesta terça-feira (20) que adquiriu 20% de participação de sua parceira Maersk Oil nos blocos BM-C-37 e BM-C-38, em águas rasas da Bacia de Campos, e se tornou operadora desses blocos. Com essa transação, a OGX passa a deter 70% de participação nesses blocos enquanto a Maersk Oil manterá os 30% restantes.

"Essa transação reflete não só o nosso interesse em continuar buscando novas oportunidades de crescimento para nosso portfólio, mas também nossa visão sobre o excelente potencial das águas rasas dessa parte da bacia de Campos”, afirmou o diretor-geral e de Exploração da OGX, Paulo Mendonça.

“Como operadores, intensificaremos a campanha de perfuração com foco na delimitação de descobertas já realizadas bem como na perfuração de novos poços pioneiros”, concluiu Mendonça.

A partir dessa aquisição, a OGX planeja usar sua estrutura operacional para perfurar 6 poços nos blocos BM-C-37 e BM-C-38, de forma a confirmar a extensão de acumulações descobertas, além de testar a existência de prospectos ainda não perfurados. A empresa realizará todos os estudos e testes que se fizerem necessários para converter seus recursos em reservas.

A empresa já possui participação em 7 blocos exploratórios na bacia de Campos que totalizam 1.177 km², passando a ser operadora de todos eles. A bacia de Campos é responsável por mais de 75% da produção brasileira e é onde se encontra a acumulação de Waimea (bloco BM-C-41), na qual ocorreu a produção do primeiro óleo da OGX.

© 2010 Copyright Diários Associados Todos os direitos reservados

O uso deste site está sujeito aos termos de uso. Ao continuar usando esta página, você concorda em cumprir com estes termos.