Juiz da Vara do Trabalho de Altamira tenta negociar fim da greve em Belo Monte

| Agência Brasil
Brasília – O juiz Luiz Antônio Nobre Brito, da Vara do Trabalho de Altamira (no Pará), comanda nesta quinta-feira (26) à tarde uma audiência com os representantes do Consórcio Construtor de Belo Monte (CCBM) e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada (Sintrapav) na tentativa de encerrar o impasse causado pela greve que começou dia 23. Ontem (25), o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região considerou a paralisação ilegal.

Na manhã de hoje houve um protesto na região do Rio Xingu promovido pelos grevistas, que decidiram manter a paralisação. Na liminar de ontem, o desembargador Georgenor de Souza Franco Filho foi favorável à ação movida pelo CCBM e determinou a volta imediata ao trabalho no canteiro de obras da usina hidrelétrica - que está sendo construída no Rio Xingu, no Pará - sob pena de multa de R$ 200 mil por dia por descumprimento da decisão. Para o desembargador, a paralisação feita pelo Sintrapav "constitui-se abuso do direto de greve".

O movimento completa hoje três dias. Os trabalhadores reivindicam reajuste do vale-alimentação - dos atuais R$ 95 para R$ 300 - e a redução do período entre as baixadas [folga dada aos trabalhadores para que visitem suas famílias em outros estados]. Para o consórcio, as reivindicações ocorrem fora do período da data-base, em novembro.

© 2010 Copyright Diários Associados Todos os direitos reservados

O uso deste site está sujeito aos termos de uso. Ao continuar usando esta página, você concorda em cumprir com estes termos.